terça-feira, 23 de novembro de 2010

Nadadores-Salvadores

01 de Junho de 2009
Sobre nadadores-salvadores
Os concessionários de bares e restaurantes nas praias estão irritados com o governo pelo novo diploma que saiu recentemente exigindo a contratação de dois nadadores-salvadores por cada 100km de praia por sua conta. Dizem que não há nadadores-salvadores suficientes e que não os conseguem encontrar. Por outro lado, as capitanias marítimas dizem que há mais de 5000 nadadores-salvadores aprovados e prontos a serem contratados.
Então, qual é o verdadeiro problema e que ninguém menciona?
A mim, parece-me que a verdade ronda o seguinte: o valor do salário a pagar. São os concessionários que pagam os salários a estes profissionais e é a capitania que os prepara.
Acredito que esta profissão é
uma profissão de grande risco de vida;
uma profissão de seleccionados e preparados com grande exigência;
uma profissão de vida curta;
uma profissão também de contacto humano e de grande diplomacia;
uma profissão de jovens;
uma profissão mal remunerada;
(........)
Acredito que os concessionários pagam o que podem, mas não é o suficiente para estes profissionais andarem satisfeitos. Então, parece-me que só há uma solução:
O salário adequado a estes profissionais ser estabelecido como parecer pelas capitanias, mas quem quiser pode pedir/receber mais. Depois estes profissionais poderiam estar agrupados numa associação, tipo ordem, e quem os quisesse contratar dirigia-se a esta entidade e dizia o que poderia pagar, fazendo prova disso e se este valor ficasse aquém do pré-estabelecido a capitania (Estado) pagaria o restante para que o salário mínimo para esta profissão ficasse garantido.
A mim, parece-me que esta profissão, além de um serviço que presta ao concessionário é um serviço público para bem do público e por isso o erário público também deve contribuir quando o do concessionário não é suficiente.❐
mailto:eu.maria.figueiras@gmail.com

Sem comentários:

Publicar um comentário